Um estudo publicado em outubro, no periódico Plos Biology, traz dois bancos de dados, com métricas padronizadas, que apresentam os cem mil cientistas mais influentes do mundo e outros que estão entre os 2% melhores cientistas no subcampo principal de suas áreas do conhecimento*. A avaliação dos cientistas é feita a partir do número de artigos que publicam e das citações feitas sobre suas pesquisas. Nesses grupos de excelência estão professores da Universidade Federal de Lavras (UFLA).

São analisados dois rankings. Um deles verifica o impacto dos pesquisadores ao longo de sua carreira. Nessa lista, aparecem os professores Rosane Freitas Schwan (do Departamento de Biologia), Daniel Furtado Ferreira (do Departamento de Estatística - DES) e Fatima Maria de Souza Moreira (do Departamento de Ciência do Solo - DCS). Já o outro ranking analisa o impacto do pesquisador especificamente no ano de 2019. Nessa segunda lista estão também os professores Rosane e Daniel, e somam-se a eles os professores Cleiton Antônio Nunes (do Departamento de Ciência dos Alimentos - DCA) e Gustavo Henrique Denzin Tonoli (do Departamento de Ciências Florestais - DCF).

A classificação leva em conta o total de citações aos pesquisadores, índice h, número de artigos de autoria única e suas citações, entre outros. São consideradas citações da base Scopus até final de 2019, incluindo métricas com e sem autocitações e proporção de citações para artigos citados. O estudo é de autoria de John PA Ioannidis , Kevin Boyack e Jeroen Baas, da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. São fornecidas métricas com e sem autocitações e proporção de citações para artigos citados

O que dizem os cientistas da UFLA presentes nos resultados do estudo

Os pesquisadores, ao comentarem sua rotina e as ações que os levaram a tais resultados, são unânimes ao citar as colaborações com as quais contam no desenvolvimento de seu trabalho, deixando a mensagem comum de que ciência se faz com atuação de equipe.

O professor Daniel relata ter ficado surpreso e honrado com o resultado, e acredita que foi uma evolução natural da carreira. “Eu me inspirei em dois grandes mestres, que são Luiz Henrique de Aquino e Magno Antônio Patto Ramalho. Pensei que poderia contribuir com minhas habilidades para a sociedade. Assim, criei o Sisvar, um programa de análise estatística utilizado mundialmente. Depois, de ter adquirido certa experiência, escrevi livros, que foram muito bem aceitos pela comunidade científica. Nesse processo todo, procurei orientar estudantes, publicar artigos, ser pesquisador do CNPq, entre outras atividades de todo professor/pesquisador. Orientei mais de 100 estudantes, entre iniciação científica, mestrado e doutorado. Publiquei mais de 200 artigos científicos. Criei pacotes do programa R, juntamente com meus orientados. Enfim, muitas outras atividades, mas o principal é que tive apoio e colaboração de muitos e, isso tudo, jamais seria possível sem o suporte da UFLA” diz.

Para a professora Rosane também foi surpresa a notícia de ter seu nome na relação dos cem mil cientistas mais influentes do mundo. “Estar entre os 600 brasileiros e os demais colegas da UFLA nessa lista realmente é muito gratificante. Pensar, realizar e trazer resultados para a ciência é um caminho que demanda muita dedicação, empenho e determinação. Nesta trajetória, tive o privilégio de contar com excelentes colegas e orientados de iniciação científica, mestrado e doutorado. O grupo de estudos que coordeno - Nefer - tem sempre buscado crescimento na ciência e inovação, o que tem sido publicado nos melhores periódicos nacionais e internacionais. É um reconhecimento aos anos que tenho dedicado à pesquisa. Agradeço a todos os colaboradores, aos órgãos de fomento e a UFLA, por me oportunizarem esse reconhecimento.

Surpresa e satisfação foram as reações descritas pela professora Fatima ao encontrar seu nome nesta lista. “Como não caminhamos sozinhas/sozinhos compartilho esse reconhecimento com as centenas de alunas/os e pesquisadoras/es do Brasil e do exterior, com quem idealizei e executei experimentos e conduzi levantamentos de campo nos biomas brasileiros. Os resultados desses trabalhos amplamente coletivos, e de décadas, são centenas de artigos e livros publicados, entre outros tipos de produção, que ampliaram o conhecimento sobre a biodiversidade e a conservação do solo, bem como suas várias aplicações na agricultura”.

Pensando sempre no potencial que suas pesquisas têm para gerar resultados que venham trazer impacto positivo para a sociedade, mesmo que em médio ou longo prazo, o professor Cleiton encontra motivação para suas ações. “A rotina é de muita colaboração, parceria e trabalho em equipe. Muitas vezes nós fazemos um trabalho de formiguinha, com cada pesquisador fazendo uma pequena contribuição para se chegar a um resultado maior e de impacto no futuro. Então, se os nossos trabalhos estão sendo usados nesse caminho, temos a indicação que estamos no rumo certo, e, de alguma forma, trabalhando em temas relevantes para a população”, avalia.

O professor Gustavo comenta as exigências a desafios envolvidos na pesquisa. ‘´É muito importante saber trabalhar em equipe, buscar atualizar-se constantemente quanto aos aspectos científicos da sua área de pesquisa, ter muita automotivação e força de vontade para se adaptar constantemente na busca de financiamento para as pesquisas, no gerenciamento dos projetos com a grande burocracia das instituições públicas, além de ter que aprender a liderar e motivar equipes de forma humana. É importante atuar na formação efetiva de líderes aptos também à internacionalização. A limitação de recursos financeiros para desenvolver grandes ideias, para aquisição de equipamentos, deslocamentos das equipes e materiais de consumo é algo que dificulta avanços ainda maiores”, ressalta.

Clique e tenha acesso ao estudo completo e bancos de dados.

* considerados cientistas com pelo menos cinco artigos científicos publicados.

 

 Gatos costumam acariciar as pessoas com um envolvente roçar de seu corpo, que começa com a cabeça e termina com a cauda. É comum eles agirem assim também com objetos e coisas, o que sugere que o comportamento vai além da demonstração de afeto. Que outro sentido está por trás dessa atitude felina?

No mundo animal, muitas dúvidas martelam na nossa cabeça. E uma delas é: por que os galos sempre cantam antes do amanhecer? Quem já teve a oportunidade de presenciar pessoalmente, sabe que ele funciona como um relógio. Se para alguns a cantoria ajuda na hora de se levantar, para outros, o som é um verdadeiro tormento.

A intoxicação por dietilenoglicol, uma substância química que pode ser utilizada na indústria cervejeira, causa insuficiência renal e alterações neurológicas, levando até mesmo a óbito. O assunto que ganhou destaque na mídia nos últimos dias tem preocupado a população.

Sim, todos sonhamos. A afirmação já é consenso entre grande parte dos cientistas que estudam as atividades cerebrais durante o sono. Mas a experiência, apesar de fazer parte das rotinas noturnas, ainda permanece cercada de mistérios e é motivo de amplas discussões.

Diretrizes para publicação de notícias de pesquisa no Portal da UFLA e Portal da Ciência

Mais>>

A Comunicação da UFLA, por meio do projeto Núcleo de Divulgação Científica e da Coordenadoria de Divulgação Científica, assumiu o forte compromisso de compartilhar continuamente com a sociedade as pesquisas científicas produzidas na Instituição, bem como outros conteúdos de conhecimento que possam contribuir com a democratização do saber.

Sendo pequeno o número de profissionais na equipe de Comunicação da UFLA; sendo esse órgão envolvido também com todas as outras demandas de comunicação institucional, e considerando que as reportagens de pesquisa exigem um trabalho minucioso de apuração, redação e revisões, não é possível pautar todas as pesquisas em desenvolvimento na UFLA para que figurem no Portal da Ciência e no Portal UFLA. Sendo assim, a seleção de pautas seguirá critérios jornalísticos. Há também periodicidades definidas de publicação.

Todos os estudantes e professores interessados em popularizar o conhecimento e compartilhar suas pesquisas, podem apresentar sugestão e pauta à Comunicação pelo Suporte. As propostas serão analisadas com base nas seguintes premissas:

  • Deve haver tempo hábil para produção dos conteúdos: mínimo de 20 dias corridos antes da data pretendida de publicação. A possibilidade de publicações em prazo inferior a esse será avaliada pela Comunicação.

  • Algumas pautas (pesquisas) podem ser contempladas para publicação no Portal, produção de vídeo para o Youtube, produção de vídeo para Instagram e produção de spot para o quadro Rádio Ciência (veiculação na Rádio Universitária). Outras pautas, a critério das avaliações jornalísticas, poderão ter apenas parte desses produtos, ou somente reportagem no Portal. Outras podem, ainda, ser reservadas para publicação na revista de jornalismo científico Ciência em Prosa.

  • As matérias especiais de pesquisa e com conteúdos completos serão publicadas uma vez por semana.

  • É possível a publicação de notícias sobre pesquisa não só quando finalizadas. Em algumas situações, a pesquisa pode ser noticiada quando é iniciada e também durante seu desenvolvimento.

  • A ordem de publicação das diversas matérias em produção será definida pela Comunicação, considerando tempo decorrido da sugestão de pauta, vínculo do estudo com datas comemorativas e vínculo do estudo com acontecimentos factuais que exijam a publicação em determinado período.

  • O pesquisador que se dispõe a divulgar seus projetos também deve estar disponível para responder dúvidas do público que surgirem após a divulgação, assim como para atendimento à imprensa, caso haja interesse de veículos externos em repercutir a notícia.

  • Os textos são publicados, necessariamente, em linguagem jornalística e seguindo definições do Manual de Redação da Comunicação. O pesquisador deve conferir a exatidão das informações no texto final da matéria e dialogar com o jornalista caso haja necessidade de alterações, de forma a se preservar a linguagem e o formato essenciais ao entendimento do público não especializado.

Sugestões para aperfeiçoamentos neste Portal podem ser encaminhadas para comunicacao@ufla.br.



Plataforma de busca disponibilizada pela PRP para localizar grupos de pesquisa, pesquisadores, projetos e linhas de pesquisa da UFLA