O “Diagnóstico de Saneamento Ambiental no Entorno do Reservatório de Furnas” é uma das ações resultantes do Diálogo de Concertação para o Desenvolvimento Sustentável do Lago de Furnas, iniciado em dezembro de 2003, implementado e coordenado pela Secretaria Geral e Sedes – Secretaria do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, ambas da Presidência da República foi desenvolvido pela Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Faepe), com suporte técnico do Fórum das Instituições de Ensino Pesquisa e Extensão para a Revitalização do Lago de Furnas (FÓRUM-Lago), supervisionado pelo Ministério das Cidades e financiado por Furnas Centrais Elétricas S.A. com apoio da Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago).

O objetivo foi diagnosticar as condições atuais dos sistemas de abastecimento de água, de esgotamento sanitário, drenagem de águas pluviais e manejo de resíduos sólidos dos municípios localizados no entorno do Reservatório de Furnas, além de elaborar um prognóstico das ações necessárias para resolução de problemas e estimativas de investimentos para os próximos 30 anos, e de apresentar a avaliação de cenários para a organização da gestão e da prestação integrada dos serviços públicos.

O diagnóstico e demais estudos foram elaborados através de pesquisas e visitas técnicas às 52 cidades e 46 distritos da região do Reservatório de Furnas. O trabalho foi realizado por uma equipe composta por profissionais indicados pelo FÓRUM-Lago.

A região do Reservatório de Furnas

O Reservatório de Furnas margeia 34 cidades da região e possui perímetro de 3,7 mil Km, o que equivale a quase metade da costa Brasileira e uma área inundada de 1.473 km2. É considerado um “mar” dentro de Minas Gerais. Para a população local, as águas de Furnas oferecem grandes possibilidades de obtenção de renda através da pesca e aqüicultura, irrigação para a agricultura e empreendimentos turísticos. Para os turistas o lago é uma alternativa para a prática de esportes aquáticos e lazer.

A região também se destaca nos setores agropecuários e na indústria alimentícia. De 1999 a 2003 foi registrado um aumento médio de 23,15% no Produto Interno Bruto (PIB), mostrando um crescimento significativo da economia regional. Com base em índices de 2003, a renda per capita média registrada foi de 1,45 salários mínimos.

A população total residente na área de estudo do “Diagnóstico das Condições de Saneamento Ambiental dos 52 Municípios no Entorno do Reservatório de Furnas” é de 1.120.323 habitantes, com 949.040 habitantes residindo nas sedes municipais, 27.801 residindo nos distritos e 171.282 residindo na zona rural.

Municípios Integrantes do Diagnóstico

Aguanil, Alfenas, Alpinópolis, Alterosa, Areado, Boa Esperança, Botelhos, Cabo Verde, Camacho, Campestre, Campo Belo, Campo do Meio, Campos Gerais, Cana Verde, Candeias, Capitólio, Carmo do Rio Claro, Conceição Aparecida, Congonhal, Coqueiral, Córrego Fundo, Cristais, Divisa Nova, Elói Mendes, Espírito Santo do Dourado, Fama, Formiga, Guapé, Guaxupé, Ilicínea, Ipuiúna, Itapecerica, Juruaia, Lavras, Machado, Monte Belo, Muzambinho, Nepomuceno, Nova Resende, Paraguaçu, Perdões, Pimenta, Piumhí, Poço Fundo, Ribeirão Vermelho, Santana da Vargem, São João Batista do Glória, São José da Barra, Serrania, Três Pontas, Vargem Bonita e Varginha.

Conclusão

Para solucionar os diversos problemas de saneamento verificados nos 52 municípios no entorno do Reservatório de Furnas serão necessários nos próximos 30 anos, investimentos da ordem de 3 bilhões, destinados a construção, ampliação e melhorias nas estruturas operacionais e adoção de gestão integrada dos serviços prestados.

Além do investimento financeiro para melhoria dos sistemas de saneamento, é de fundamental importância que as instituições públicas e privadas locais, promovam a mobilização da sociedade através de fóruns de discussão e programas continuados de educação ambiental e sanitária, que efetivamente garantirá a preservação ambiental e o desenvolvimento sustentável da região do Reservatório de Furnas, respeitando os recursos naturais e a cultura local.

O estudo de cenários dos serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário pressupõe a gestão associada dos serviços, com a cooperação entre os Municípios, e ou entre estes e o Estado, organizados em uma única entidade associativa regional na forma de Consórcio Público.

Mais informações: www.forumlago.unis.edu.br
Prof. Fábio Moreira da Silva – Departamento de Engenharia da Ufla
E-mail: famsilva@ufla.br
Tel: (35) 3829-1121/1212

Diretrizes para publicação de notícias de pesquisa no Portal da UFLA e Portal da Ciência

Mais>>

A Comunicação da UFLA, por meio do projeto Núcleo de Divulgação Científica e da Coordenadoria de Divulgação Científica, assumiu o forte compromisso de compartilhar continuamente com a sociedade as pesquisas científicas produzidas na Instituição, bem como outros conteúdos de conhecimento que possam contribuir com a democratização do saber.

Sendo pequeno o número de profissionais na equipe de Comunicação da UFLA; sendo esse órgão envolvido também com todas as outras demandas de comunicação institucional, e considerando que as reportagens de pesquisa exigem um trabalho minucioso de apuração, redação e revisões, não é possível pautar todas as pesquisas em desenvolvimento na UFLA para que figurem no Portal da Ciência e no Portal UFLA. Sendo assim, a seleção de pautas seguirá critérios jornalísticos. Há também periodicidades definidas de publicação.

Todos os estudantes e professores interessados em popularizar o conhecimento e compartilhar suas pesquisas, podem apresentar sugestão e pauta à Comunicação pelo Suporte. As propostas serão analisadas com base nas seguintes premissas:

  • Deve haver tempo hábil para produção dos conteúdos: mínimo de 20 dias corridos antes da data pretendida de publicação. A possibilidade de publicações em prazo inferior a esse será avaliada pela Comunicação.

  • Algumas pautas (pesquisas) podem ser contempladas para publicação no Portal, produção de vídeo para o Youtube, produção de vídeo para Instagram e produção de spot para o quadro Rádio Ciência (veiculação na Rádio Universitária). Outras pautas, a critério das avaliações jornalísticas, poderão ter apenas parte desses produtos, ou somente reportagem no Portal. Outras podem, ainda, ser reservadas para publicação na revista de jornalismo científico Ciência em Prosa.

  • As matérias especiais de pesquisa e com conteúdos completos serão publicadas uma vez por semana.

  • É possível a publicação de notícias sobre pesquisa não só quando finalizadas. Em algumas situações, a pesquisa pode ser noticiada quando é iniciada e também durante seu desenvolvimento.

  • A ordem de publicação das diversas matérias em produção será definida pela Comunicação, considerando tempo decorrido da sugestão de pauta, vínculo do estudo com datas comemorativas e vínculo do estudo com acontecimentos factuais que exijam a publicação em determinado período.

  • O pesquisador que se dispõe a divulgar seus projetos também deve estar disponível para responder dúvidas do público que surgirem após a divulgação, assim como para atendimento à imprensa, caso haja interesse de veículos externos em repercutir a notícia.

  • Os textos são publicados, necessariamente, em linguagem jornalística e seguindo definições do Manual de Redação da Comunicação. O pesquisador deve conferir a exatidão das informações no texto final da matéria e dialogar com o jornalista caso haja necessidade de alterações, de forma a se preservar a linguagem e o formato essenciais ao entendimento do público não especializado.

Sugestões para aperfeiçoamentos neste Portal podem ser encaminhadas para comunicacao@ufla.br.



Plataforma de busca disponibilizada pela PRP para localizar grupos de pesquisa, pesquisadores, projetos e linhas de pesquisa da UFLA